DesignDestaqueEntrevistasIlustraçãoProduto

A alma das cidades ilustrada por Beatriz Lamanna


Peça da coleção Alma do Rio

Em 2010, tive uma breve conversa com a designer e ilustradora carioca Beatriz Lamana, numa exposição de um amigo em comum. Na ocasião, já havia visto as ilustrações que ela estava fazendo para a famosa marca de louças portuguesas Vista Alegre e expressei minha vontade em fazer uma matéria sobre elas. Com um lag considerável – é verdade –, conversamos melhor com Beatriz, que nos contou um pouco sobre o projeto e processo de criação.

Beatriz trabalhou na Tátil Design, no Rio de Janeiro, desenvolvendo projetos para marcas como Nokia, Avon, Brastemp e Natura. Em 2006, mudou-se para São Paulo, e na Dezign com Z, coordenou a equipe de criação da conta da Natura, responsável pela criação de produtos e desenvolvimento de branding para importantes lançamentos.

Hoje, além dos trabalhos freelance, se dedica a dois projetos: Nubestudio, seu estudio criativo e Casa Estampada, uma loja virtual que ainda está começando. Um se dedica a criar ideias e o outro, produtos.

Mas foi em Madrid, onde fez um Master em Design Têxtil e Superfícies no Istituto Europeo di Design (IED), que a história das ilustrações de louças começou. Em suas palavras:

Estava em Madrid estudando e uma das aulas era de “Vajillas”, louças no nosso bom português. O IED tem a prática de juntar escola – empresa, e quem patrocinava essa aula era a Vista Alegre Atlantis. Durante as aulas conhecemos o processo do decalque, a criação das linhas e tivemos a oportunidade de decorar 3 coleções em branco com tema livre e com a possibilidade de ser produzidas por eles! Que chance!

E completa:

Uma das coleções, a Carré, me chamou atenção por ser bem quadradinha, ângulos retos e a tampa do bule e cafeteira parecerem telhados. Conversei com minha professora sobre a ideia de fazer casinhas naquelas peças, (até porque a ideia era estranhíssima aos olhares do mundo mais tradicional) e ela me apoiou. O bom é que eu havia acabado de voltar de Lisboa e a cidade estava fresquinha na minha memória.


Peças da Coleção Alma de Lisboa 

Beatriz desenvolveu 5 peças e para sua alegria foi um sucesso. Ressaltou ainda que a marca apostou desde o início neste projeto, já que além de Lisboa, a Vista Alegre encomendou mais 5 coleções, que estão entre as mais vendidas.

O sucesso das ilustrações realmente é tão grande quanto a quantidade de releases que coleciona em seu site. E proporcional a complexidade do projeto:

Meu processo de criação é longo, porque não é apenas o desenho, existe a parte da pesquisa, da adequação da figura à peça, do desenho, da digitalização e por fim, pintura. Como retrato cidades reais, a pesquisa inicial é importantíssima. Leio muito também. Cada cidade tem uma identidade própria e única, e isso tem que ser passado para os desenhos – explica Beatriz Lamanna.

A coleção é formada por peças verticais (bule, cafeteira, leiteira e açucareiro), horizontais (pratos e bandeja) e verticais mais horizontais (xícaras de café e chá com pires e caneca com bandeja). Por isso, o desafio inicial é pensar o que melhor se encaixa em cada porcelana: “uma escolha muito feliz foi da praia de Ipanema na caneca com bandeja. Na caneca desenhei cadeiras de praia com o Dois Irmãos ao fundo em uma face, na outra o chuveiro e na terceira os coqueiros. Já na bandeja desenhei o calçadão de Ipanema, a areia e uma canga estendida com um biscoito e um mate ao lado. Isso torna a peça quase como um mini cenário.”, exemplifica Beatriz.


Peça da coleção Alma de Madrid 

Após a pesquisa e com os desenhos em mente, Beatriz começa a fase da ilustração. Começa pelo rascunho à mão no molde da peça em papel (fitting), fazendo uma montagem fotográfica no Photoshop depois. Imprime e com um papel vegetal, desenha sobre essa montagem. Esse papel é escaneado a 750 dpi e depois é limpo para a linha ficar preta mas não muito suja de grafite.

É nesta etapa que envia à Vista Alegre para aprovação. Uma vez aprovadas, começa a pintura das ilustrações: “Cada coleção tem uma paleta de 12 cores aquareladas em papel texturizado e digitalizadas. O trabalho é usar essas cores para pintar cada pedaço do desenho”, explica Beatriz.


Imagens do processo de criação das artes 

Aliás, o processo é bem diferente com o que estava acostumada a trabalhar. Os arquivos precisam ser todos em 750 dpi ou superior e em RGB. Por não saber disso no início, teve que refazer a primeira coleção por estar toda em 300 dpi.

Há também a limitação dos fittings de cada peça. As curvas tem uma área de aplicação dificílima e descontinuada. É um quebra cabeça. Quem trabalha com embalagens não retas já conhece bem do que estou falando. – diz Beatriz, agora calejada e expert no processo.

Trabalhar a distância não foi problema. Além de respeitar muito seu trabalho, os contatos foram feitos por email e o envio do material é feito por site de compartilhamento de arquivos, já que os arquivos são gigantes. “Quando acontece algum desacordo sobre o desenho de peça, cor… Tentamos encontrar um meio termo, até porque eu sei desenhar e eles sabem vender louças. É uma parceria!”, conta Beatriz que prova que existem clientes que valorizam bastante a opinião do profissional.

Para facilitar, Beatriz divide o projeto em 3 partes: primeiro, escolhe o desenho ou ideia. Depois, a fase da ilustração a lápis já digitalizada. Por fim, a entrega final em cores. Garante que assim diminui o ruído de chegar ao final e a peça não ser aprovada.

O fato de ser uma brasileira retratando cidades portuguesas e espanholas não afeta o processo, pelo contrário:

Adoram até. E se divertem por ter uma brasileira que conhece e ama tanto a terra deles! Me perguntam constantemente: “como você entendeu tão bem a nossa terra?!”. Quem já foi a Lisboa se sente em casa, tudo é muito parecido com o Rio Antigo. Sensação de estar em casa. O interessante é que eles falam em todas as ações de divulgação (Portugal, Espanha, Angola e Brasil) que sou uma designer brasileira, isso só me leva a crer que não há problema algum. Torna a marca ainda mais forte e internacional. – conta, orgulhosa, Beatriz.


Peça da coleção Alma do Rio 

Dentre todas os lugares que ilustrou – Madrid, Porto, Lisboa, Ilha da Madeira e Rio de Janeiro –, o último foi o mais difícil de criar: “Morar na cidade que está sendo retratada, dando uma cara turística mas nem tanto, é difícil”, completando “Queria uma coleção linda, desejada e bem carioca. Assim tive que fazer um mix dos ícones mais fortes da cidade (Calçadão de Copa, Vista Chinesa, Cristo…) com os hábitos do carioca, como a casa de sucos, passeio na lagoa, ida a praia de Ipanema e o velho e bom boteco!”, garantindo que não há preferência por nenhuma delas “São todas filhas da mesma mãe!”, finaliza Beatriz.

Foi até bom esperar um pouco para falar sobre seu trabalho. Hoje, Beatriz já ilustrou mais cidades e outras estão a caminho – sem revelar quais são, por questões estratégicas, mas adianta “Voltamos a Portugal!”.

Beatriz Lamanna é mais um exemplo de que o Brasil também é craque em exportar talento no design e na ilustração.

Algumas peças das coleções Alma da Vista Alegre:


Peças da coleção Alma do Rio


Peças da coleção Alma de Lisboa


Peças da coleção Alma do Porto


Peça da coleção Alma da Madeira


Peças da coleção Alma de Madrid

Gostei! 3

matérias relacionadas

Arte de corpo e alma
Comida ilustrada
Guarde melhor sua preciosidade

sobre o autor

thiago mano
Formado em Desenho Industrial pela Faculdade da Cidade/RJ desde 2005. Trabalhou nas agências Tecnopop e Tátil Design, contando no seu portfolio com trabalhos da TIM, NET, Duloren, Femmina, P&G, Shell e Bradesco. Hoje faz parte da equipe criativa da agência Conception. Gosta de fazer ilustração em Pixel Art, fotografia e viajar.



recomendamos

Guidelines for Online Success

336 páginas

Editora Taschen, 2008
Inglês

sites recentes

Volta Ferrorama
Promocional
Paul Frank
Promocional
Pilot Handwriting
Tipografia
 
 
 

debate atual

Criação vs Produtividade

matérias randômicas

World Press Photo 2010
Quando fotografia e ilustração se complementam
Lego + Arquitetura
Jardins iluminados por Bruce Munro
Gelo fácil

flickr

www.flickr.com/de2ign

arquivo

creative license

Tirinhas exclusivas de N.C. Winters, traduzidas para o português.
Creative License #66 – Despedida Final

enquete

  • Desculpe, não há nenhuma enquete ativa neste momento.

feedback

Você tem alguma idéia ou sugestão
para melhorar nosso site? Nós queremos ouvi-lo! Queremos que a De2ign seja, cada vez mais, do seu jeito e com a sua cara!

newsletter

Assine a newsletter e receba nossas matérias por e-mail. É mole ou quer mais?

twitter

Ó nós aqui no Twitter...